Curiosty é um robusto veículo de uma tonelada e tamanho de um carro responsável pela exploração de terrenos específicos no planeta Marte. Ao pensarmos no volume e peso do robô e a distância do planeta vermelho em relação a Terra, cabe a dúvida: como é possível gerir os movimentos deste rover?

A respeito da distância entre nosso planeta e Marte, há um atraso no recebimento de informações enviadas por nós de treze minutos, tempo suficiente para causar um grande ou definitivo estrago no Curiosity, caso medidas de planejamento passo a passo não sejam levadas em consideração.
Para implementar controle eficiente, operadores da Nasa enviam por meio da rede dedicada desse orgão, chamada Deep Space, instruções (como em um algoritmo) sobre como lidar com dificuldades ao caminhar para um objetivo. Outra forma de unir pontos encontrada pela Nasa foi simplesmente apontar para o rover onde ele deverá ir, restando confiar na engenharia do robô para que haja sucesso.
Traçando estratégias

Para decidir qual é a melhor maneira de guiar o Curiosity, membros da Nasa fazem uso do sistema RSVP (Rover Sequencing and Visualization Program), que atua como um simulador do terreno de Marte. Após avaliar as condições físicas do espaço, as ordens de manobra são encaminhadas ao robô ou apontadas, fazendo com que o Curiosity chegue ao ponto com a ajuda de seu sistema de câmeras contra altos impactos, responsáveis por identificar e mapear a região.
Chegando ao ponto estipulado pela missão, câmeras “on board” do Curiosity enviam aos laboratórios da Nasa fotos de seus objetivos concluídos e da nova região conquistada. Essas informações fotográficas são arquivadas no banco de dados utilizado para traçar missões do Curiosity, funcionando como repertório de informações para mais um dia de missões em solo marciano.
Via ExtremeTech

Eduardo Cavalcanti
Autor

Engenheiro Civil de formação, empresário, e atua em diversos mercados. É aficcionado por tecnologia e está sempre em algum lugar diferente do mundo (sim, viajar está entre seus maiores hobbies). Já teve uma época em que não conseguia dormir sem assistir a um episódio do Netflix. Hoje, com o empreendedorismo pulsando em suas veias, usa praticamente todo o seu tempo livre consumindo conteúdos relacionados à cases de sucesso e ao mercado financeiro.

X