Já concluiu a primeira etapa do seu mapa de Soft Skills? Se não, o texto sobre a primeira etapa que é a de Objetivos e Metas, vai te ajudar!

Agora, você já pode iniciar a segunda etapa do mapa: Pontos fortes e pontos a desenvolver. Divido essa etapa de autoconhecimento em duas partes, sendo elas a autoavaliação e os  feedbacks.

Desenvolvendo Soft Skills – Testes Comportamentais

Por incrível que pareça, não é de hoje a preocupação em compreender o ser humano principalmente em relação a alguns perfis pré-definidos. Na Grécia antiga, por exemplo já se tentava fazer uma associação utilizando os quatro elementos da natureza.

Desenvolvendo Soft Skills

Pessoas de fogo, eram definidas como mais agitadas. Água para quem tinha um comportamento mais fluído, constante. Terra, como o próprio nome diz, definia os mais “pés no chão”, ou seja, mais centrados. Por fim, pessoas de ar sofriam influência do elemento no sentido de leveza, fazendo jus também ao significado do mesmo.

Entre muitos outros, o bem difundido método DISC, criado pelo psicólogo americano William Marston, busca compreender as reações dos indivíduos e identificar o tipo de perfil dominante. Dominância, Influência, Estabilidade e Conformidade, são os quatro tipos de comportamentos da metodologia.

Porém, essa nomenclatura não é muito fácil de ser memorizada e compreendida. Inspirado no método de Marston e buscando essa simplicidade, surgiu o profiler que divide nos perfis: Executor, Comunicador, Planejador e Analista.

Atualmente, você consegue encontrar testes simplificados e gratuitos para te ajudarem a identificar o que é mais predominante. Porém, preciso alertá-lo: não pense que apenas fazer um teste de perfil comportamental, te proporcionará autoconhecimento! Ele funciona muito bem aliado a mais dois processos, que são os próximos tópicos desse texto.

Desenvolvendo Soft Skills – Autoavaliação

Você saberia responder facilmente quais os seus pontos fortes e os seus pontos a desenvolver? Parece que essas questões nunca estão na ponta na língua, não é mesmo? Vou te contar algo que me ajudou a dar o ponta pé inicial: pensar sobre o significado de ponto forte.

O livro “Descubra os seus pontos fortes”, de Marcus Buckingham e Donald O. Clifton, define como algo que fazemos constantemente e com performance próxima ao ótimo. E aí, já consegue definir as suas características positivas e no que é bom?

Caso contrário, posso lhe ajudar. Criei algumas perguntas que você pode se fazer para descobrir pontos fortes e a desenvolver.

Desenvolvendo Soft Skills

Para os pontos fortes, são elas:

  1. O que eu realizo com frequência e com bom desempenho?
  2. O que costumo me orgulhar de fazer?
  3. O que costuma me trazer feedbacks positivos?

Para os pontos a desenvolver:

  1. O que sempre deixo para depois ou reclamo de fazer?
  2. O que ou em que não me avalio bem?
  3. O que costuma me trazer feedbacks negativos?

A proposta do livro que mencionei é justamente reforçar a importância de conhecer os pontos fortes e procurar desenvolvê-los. Tirar o foco das fraquezas para que você consiga se destacar através dos seus potenciais em muito menos tempo do que faria se buscasse a excelência em algo que não é o seu marco.

Concorda? Já pensou em usar os seus pontos fortes, ganhar tempo e minimizar os seus pontos a desenvolver sem deixar em evidência as suas oportunidades?

Desenvolvendo Soft Skills – Feedbacks

Por fim, a última etapa desse processo é entender um dos pontos cruciais para o seu desenvolvimento. Você realmente passa o que deseja a quem convive e trabalha com você?

É exatamente isso que você leu! Feedbacks não são nada mais do que a visão que os outros tem sobre você ou a resposta que eles lhes dão. Agora, mesmo que você pense: “Ah, mas tem a ver com o outro e não comigo”. Te convido a pensar: “Como vou influenciar na maneira que alguém me vê ou em uma resposta que pode me dar? ”.  

Desenvolvendo Soft Skills

Falamos no último texto sobre Lócus de Controle interno e ele também se encaixa para esse tema de feedbacks. Ou seja, reflita sobre o seu papel nesse processo! Qual a imagem que você passa? Como você age em determinadas situações? Depois disso, também falamos na etapa 1 sobre métricas, não é mesmo? Portanto, meça! Meça a maneira como os outros enxergam você.

Para tal, esse momento de feedback é crucial! Já pensou em fazê-lo de maneira estruturada? A minha dica é: comece perguntando as 6 perguntas que você se fez na etapa de autoavaliação. Pergunte para diferentes pessoas, de diferentes áreas e posições para que você avalie a imagem que passa e se ela é a mesma independentemente do nível ou da área que interage.

Finalizamos aqui a segunda etapa do seu Mapa de Soft Skills e você já se encontra na metade desse processo! Te encontro no próximo texto. Esse é o quarto, dos sete artigos da nossa série de desenvolvimento pessoal e profissional, baseado em Soft Skills.

Autor

Engenheira Eletricista, especialista em Engenharia de produção e Gestão Empresarial. Atua em uma multinacional e coordena uma equipe de 50 pessoas diretas, com foco em processos de melhoria contínua, ferramentas de análises de perdas, criação de rotinas e KPIs de produção como OEE e MTBF. É apaixonada por desenvolvimento de pessoas e tecnologia e por isso faz também um trabalho sobre Soft Skills e mostra em seu Instagram bastante conteúdo em vídeos e LIVES (@maaribarceloss). Além disso, fã de música e podcasts, não consegue ficar um dia sequer sem ouvir.

X